Como se comprometer a treinar sozinho?

19/08/2020

Após a disseminação da COVID-19 houve alteração do cotidiano e aquilo que era previsível deixou de ser. A necessidade de isolamento social levou a fechamento de academias, piscinas, centros de treinamento e parques. O impacto tanto no atleta alto rendimento quanto nos guerreiros de fim de semana foi imediato e consequência disso foi treinar sozinho e em casa. E como se comprometer a essa nova realidade? 

Abaixo algumas ideias sobre.

Encarar o medo

O medo de não haver perspectivas do retorno de campeonatos, provas e de não saber como o próprio rendimento ao retornar as competições pode criar mecanismos negativos psicológicos. Dentro desses mecanismos podemos citar o relaxamento no cumprimento de planilhas de treinamento ou das metas semanais. Segundo a psiquiatra do esporte Dra. Carla Edwards o medo é natural em momentos de incerteza e aconselha mudança do referencial: em vez de focar em ganho de desempenho pode se enfatizar a manutenção de saúde. Além disso a adoção de meditação ou exercícios de relaxamento podem ajudar a manter a mente focada na ação e no presente.

Mantenha-se conectado

Perder algo importante como rotina e as agendas a cumprir do treino pode gerar ansiedade. As orientações de não contato físico impõem o desafio de se manter conectado via uso de tecnologia. Portanto redes sociais e internet pode aliviar essa sensação e a criação de desafios se torna um motivador interessante. Engajar os amigos e companheiros de treino alivia o estresse de se manter sozinho.

Manter a mente aberta

Adaptar a novas condições, ainda mais essas sendo não ideais, demanda mente aberta e flexibilidade nas atitudes. Segundo Dra. Edwards isso é um grande aliado para manejar o impacto negativo na saúde mental. A oportunidade de se tornar mais autônomo e realizar tarefas conforme a própria agenda é algo positivo a extrair dessa situação. O equilíbrio pode gerar atletas de maior saúde mental e atitude positiva que culminará em resiliência em ambientes hostis em futuras competições.

Solicite ajuda

Apesar de todo ajustamento e adaptabilidade a uma nova situação, solicitar ajuda a amigos, família ou treinadores para novas experiencias ou novos formatos é saudável e recomendável. A pandemia nos atingiu de diversas maneiras e isolar-se ainda mais que o necessário pode impactar no bem estar mais que possamos imaginar. O momento é de estresse coletivo e como tal respostas coletivas são mais eficazes e aproximação, ainda que virtualmente, torna o fardo mais leve. Em breve retornaremos melhores e prontos para novos desafios.

Texto by Café com Esporte

Não deixe de conferir @café.com.esporte