Crepitação de Joelho - Quando me preocupar?

02/07/2022

A partir de hoje, o blog do Movimento Médicos Atletas irá dar a oportunidade para acadêmicos da área da saúde escreverem posts relacionados ao exercício físico para uma publicação mensal. E a acadêmica da vez é a Maria, acadêmica de Fisioterapia da Universidade de Caxias.

Por que o joelho produz estalos? Entenda o que é a crepitação.

Se estalos, barulhos ou ruídos no joelho te incomodam, fique tranquilo, pois a partir dessa leitura você vai entender.

Com o avanço do número de pessoas se mantendo ativas, seja a partir de alguma prática esportiva ou qualquer que seja o meio, os cuidados com as articulações se tornam mais evidentes, uma vez que, são responsáveis por produzir movimento fluído através das estruturas ósseas.

Ao se deparar com a crepitação, o termo nomeado para os estalos, barulhos ou "cracks" que acontecem no joelho durante o movimento, seja ele de flexão (dobrar) ou de extensão (estender), tendem a gerar receio e dúvida quanto ao real estado da articulação.

Dessa forma, diversas são as teorias e argumentos que buscam explicar a causa para esse evento. Isto é, por um processo chamado de cavitação (onde ocorre a vaporização de um líquido pela redução da pressão) ou, por outro lado, estar relacionado com a formação de uma bolha de ar em espaços na articulação. Melhor dizendo, as alterações na pressão articular podem provocar a evaporação de mínima quantidade do líquido sinovial. No momento em que, ocorre a evaporação, pequenas bolhas de gás são formadas rapidamente, emitindo um som de estalo. Já, quando surge a formação de múltiplas bolhas pode-se fazer um som de "moendo grãos".

Mas, quando devo me preocupar?

Se houver dor ou inchaço acompanharem os ruídos é importante buscar um profissional, seja médico ou fisioterapeuta para realizar uma avaliação e diagnosticar o problema. Por outro lado, a maioria dos estudos evidenciam que, a presença dos estalos não levam a uma maior dor, não geram menor capacidade funcional ou reduzem os níveis de atividade física, visto que, esses fatores não são determinantes.

Para tal, a maneira mais eficaz, torna-se buscar estratégias para conter a crepitação, ou seja, meios para reduzir como: no alongamento dos músculos flexores de quadril e da banda iliotibial, bem como, o fortalecimento dos músculos extensores de joelho e abdutores de quadril.

Logo, o mais importante é estar claro que o ruído no joelho é apenas um som e não um sintoma.

Por Maria Eduarda Vieira

  • Acadêmica de Fisioterapia da Universidade de Caxias do Sul.
  • Coordenadora da Liga Acadêmica de Fisioterapia em Traumatologia Ortopédica e Desportiva