Dor Muscular de Início Tardio - você sabe o que é?

13/03/2021

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar da Dor Muscular de Início Tardio (DMIT), mas, uma coisa eu te garanto: se você tem o costume de treinar, você provavelmente já sentiu ela diversas vezes. A DMIT é aquela dor do treino de quinta feira que apareceria na sexta e/ou sábado. Mas, antes de entender o porque a DMIT acontece, vamos diferenciar ela da dor imediata do treinamento.

A dor imediata, como o próprio nome diz, é a dor que aparece durante e/ou logo após o treinamento - sendo essa a primeira diferença entre a DMIT e a dor imediata. A segunda diferença entre as duas é relacionada à sua causa: a dor imediata acontece devido ao acúmulo de ácido lático nas fibras musculares. Ao acumular lactato (um derivado do ácido lático), o pH do músculo diminui gerando uma acidose metabólica - e é essa acidez muscular que estimula as fibras quimiorreceptoras dos músculos gerando a sensação de dor

Enquanto o exercício continuar acumulando esse ácido lático gerando essa acidose, a dor tende a continuar e, até, piorar. Porém, ao parar com o exercício, esse desconforto vai, progressivamente, diminuindo e, geralmente, desaparece em até 1 hora após o exercício físico - dependendo da capacidade do seu corpo em se livrar desse ácido. Existem algumas ferramentas que aceleram esse processo de metabolização; porém, a maneia mais rápida e efetiva de diminuir a dor causada pelo ácido lático é fazer um exercício aeróbico (ex: caminhar, andar de bicicleta e nadar) de baixa intensidade (ex: baixa intensidade é quando você consegue andar e conversar sem problemas) durante 5-10 minutos. Essa recuperação ativa (aeróbica) faz com que o lactato acumulado seja utilizado para fornecer energia para o corpo.

O acúmulo de ácido lático nos músculo é responsável pela dor em queimação que sentimos durante certas modalidades de exercício.
O acúmulo de ácido lático nos músculo é responsável pela dor em queimação que sentimos durante certas modalidades de exercício.

Por outro lado, a DMIT é uma dor que costuma aparecer aproxidamente entre 6-24 hrs após o fim do exercício físico, atinge seu ápice entre 48-72 hrs após o exercício e desaparece gradualmente a partir do terceiro dia - mas, ela pode durar até uma semana. É uma dor que pode ser acompanhada de outros sintomas musculares como uma perda da mobilidade, aumento na temperatura na pele na região do músculo, dor a palpação, espasmos musculares e perda de força. Mas, porque ela acontece?

De uma maneira simplificada, quando você treina você acaba causando microlesões nas fibras musculares - especialmente na parte do movimento onde o músculo é esticado contra uma ação resistente, também chamado de fase excêntrica ou negativa. Por exemplo, no agachamento, a fase que a barra está descendo (excêntrica) é a fase que causa maior microlesões nas fibras musculares. Porém, essas microlesões não são a causa direta da dor. Uma vez que essas fibras são machucadas pelo exercício, o corpo inicia um processo inflamatório, o que dá início ao processo de regeneração e fortalecimento desse músculo - ou seja, a dor é causada por essa inflamação. Por isso o uso de anti-inflamatórios alivia essas dores. Porém, a inflamação é um processo vital no fortalecimento muscular e, por isso, o uso de medicamentos que afetem a sua evolução irá afetar a progressão do fortalecimento muscular. Ou seja, o uso de medicamentos anti-inflamatórios evita que você sinta o DMIT mas, também, evita que seu músculo se remodele e se torne mais forte.

Que legal, mas eu vou sempre sentir essa dor? Na teoria, não. Cada vez que você realiza o exercício com uma determinada intensidade, o seu corpo tende a se acostumar com o passar do tempo. Quer um exemplo? Quando você fica muito tempo sem treinar e recomeça, é bem possível que você tenha uma DMIT bem intensa nos dias posteriores. Mas, conforme você continua treinando, essas dores vão ficando cada vez mais fracas e vão deixando de acontecer. Ou seja, aquele teu estímulo de treinonão está sendo suficiente para desafiar seu corpo a melhorar. Por isso é muito importante o princípio da progressão. Conforme você vai realizando um determinado exercício, o ideal é que você aumente o volume (ex: tempo ou números de séries), intensidade (velocidade, peso ou potência) ou os dois. Desse modo, você está sempre desafiando seu corpo a ficar mais forte, mais rápido e maior.

Princípio da progressão: a repetição de um determinado exercício causa uma adaptação do corpo levando ao aumento da força e do tamanho do músculo. Com a progressão adequada, a tendência é que o músculo sempre fica maior e mais forte.
Princípio da progressão: a repetição de um determinado exercício causa uma adaptação do corpo levando ao aumento da força e do tamanho do músculo. Com a progressão adequada, a tendência é que o músculo sempre fica maior e mais forte.

Mas, preciso sentir essas dores após todos os treinos? Depende. Se você está iniciando um treino novo ou está começando agora, o DMIT provavelmente irá acontecer. Se você está fazendo o mesmo treino a um tempo e não teve nenhuma progressão (tanto de tempo, intensidade ou volume), provavelmente você não sofra com a DMIT. Independentemente da causa, não se pode usar o DMIT como um critério de avaliação da efitividade do treino - o DMIT só pode ser usado como uma indicação de que possívelmente está na hora de você progredir. Você fez o melhor treino que poderia? Se sim, essa deve ser o critério para avaliar o quão eficiente seu treino foi.


Por Ricardo Schultz Martins 

  • Bacharel em Fisiologia do Exercício pela Acadia University
  • Mestre em Fisiologia do Exercício pela Brock University
  • Especialista em Suplementação Esportiva pela Dietitians of Canada
  • Acadêmico de Medicina pela Universidade do Planalto Catarinense