Quanto aporte calórico é importante na reabilitação?

02/10/2020

Diversos aspectos importam quando o assunto é reabilitação pós lesão. 

Mecanismo de trauma, local da lesão, tratamento conservador ou cirúrgico e fisioterapia. 

Entretanto a parte nutricional é tão importante quanto os outros fatores citados. Acima de tudo o aporte calórico deve ser adequado. Infelizmente muitas vezes é negligenciado culminando a um retorno ao esporte mais lento.

Maior preocupação: perda de músculo

Lesões são inerentes a atividade física e ao exercício independentemente de você ser atleta de alto rendimento ou um entusiasta de fim de semana. E muitas vezes essas lesões levam a incapacidade e a necessidade de imobilização temporária tornando o indivíduo inapto para atividade. Logo a perda de função muscular leva a diminuição da porcentagem de massa magra. E tal cenário é tenebroso e medidas para minimizá-lo devem ser tomadas.

O que seria aporte adequado?

Uma das maiores dificuldades da fase de reabilitação relacionado a estratégia nutricional é definir a quantidade calórica adequada diária. A imobilização diminui a energia gasta e a tendência natural será diminuir a o aporte nutricional. Porém ao diminuir a ingesta energética estimulará vias celulares que consumirão a massa magra. Portanto é interessante o seguimento com a equipe da nutrição para que esses ajustes finos sejam feitos e essas vias inibitórias não sejam ativadas. Dentre essas estratégias o consumo proteico elevado tem se demonstrado como fator protetor. Além disso, atenção aos micronutrientes e suplementos como o ômega-3 tem se mostrado como eficazes na minimização de perda musculatura durante a reabilitação.

Em resumo

Evitar déficits nutricionais mantendo aporte calórico de macronutrientes adequado
Acompanhamento nutricional para evitar desequilíbrios
Manter ingesta proteica alta em torno de 2-2,5g/Kg/dia
Evidência de eficácia de alguns suplementos como ômega 3