top of page

Dicas para o desenvolvimento infantil

Por Dra. Alessandra Russo

Verão chegando, férias à vista! Tempos de muita brincadeira e diversão. Entretanto época que também aumentam os riscos de acidentes na infância.

No Brasil, os acidentes são a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos de idade, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria. Porém, cerca de 90% desses acidentes podem ser evitados com medidas simples de prevenção.

Criança é curiosa e exploradora e muitos acidentes acontecem dentro de casa, local onde, a princípio, as crianças devem ter liberdade para circular, explorar e se desenvolver de forma saudável e segura.

Seguem algumas dicas:

De 0-6 meses: Cuidados com situações que possam causar sufocamento, como brinquedos muito pequenos, almofadas e embalagens plásticas.

Outro cuidado nessa idade é com o risco de quedas: berços com grades altas, não deixe a criança sozinha em móveis altos e use redes de proteção em janelas e grades em escadas.

Finalmente, cuidado redobrado com banheiras, piscinas, baldes, pois mesmo pequenos níveis de água podem causar afogamento.

Para os mais velhos, seguem os cuidados com piscina, além de produtos de limpeza que podem causar intoxicação. Conduza sempre a criança pela mão de forma segura ao sair de casa. Não permita que a criança brinque e solte pipa ou papagaio em locais onde há postes de luz e fiação elétrica.

E lembre-se sempre de usar a cadeira de transporte infantil. Menores de 10 anos devem continuar sentando no banco de trás do carro, presas por um cinto de segurança de três pontos. E após os 10 anos, quando podem andar no banco da frente, use sempre, SEMPRE o cinto de segurança.

São medidas simples que vão fazer seu verão ser pura alegria!FELIZ ANO NOVO!

Começo de um novo ano é tempo de festa, de fazer planos, retrospectivas. Aquele balanço geral do que funcionou e do que queremos mudar. Tempos também de fazer as famosas metas para o ano novo. Os planos clássicos para os adultos são deixar de fumar, praticar mais esportes e perder peso.

Mas e para as crianças? Podemos fazer com elas resoluções de ano novo? Sim, desde que isso seja encarado como uma brincadeira; de maneira positiva e flexível e não mais um ponto de pressão na vida de crianças que atualmente já tem tanta demanda por desempenho.

Entretanto vale lembra que as crianças pequenas têm um conceito de tempo diferente do que os adultos, por isso o ideal é fazer resoluções de curto prazo, geralmente mensais e refazendo os combinados nos meses seguintes.

A partir dos 7 anos já é viável propor às crianças metas de mais longo prazo, de forma lúdica e divertida.

Vale lembrar sempre que as propostas devem ser isentas de pressões e exigências e podem inclusive ser apresentadas como questões solidárias e comprometidas como o cuidado com o planeta, economizar água, ou atividades empolgantes como aprender a cozinhar algo gostoso ou aprender um novo esporte. O mais importante nesse proceso é escutar a criança e respeitar seu posicionamento para chegarem juntos aos planos.

As metas devem ser realistas e possíveis para evitar frustrações desnecessárias e podem ser repensadas de tempos em tempos.

Outra dica interessante é juntar a sua meta com a do seu filho e fazer combinados juntos, como por exemplo, vamos caminhar juntos 15 minutos 3x na semana ou vamos ler um livro juntos. Isso dá a criança um senso de pertencimento.

Finalmente, comemore as metas alcançadas, mesmo que ainda parcialmente. Comemore cada livro terminado, cada receita aprendida e façam desse ano um ano muito feliz para suas crianças. Feliz 2023!


Dra. Alessandra Russo

  • Médica Neuropediatra pela USP.

  • Mestre e Doutora pela USP.

  • Título de Especialista em Neuropediatria.

  • Pós-graduada em Psiquiatria infantil pela USP.

  • Membro da Sociedade Brasileira e Internacional de Neurologia Infantil


1 visualização0 comentário

留言


bottom of page